• SD Positivo

Finanças Pessoais: O lobo, as ovelhas e o RH


Não é novidade que estamos passando por um período de incertezas.

Por conta da pandemia, as pessoas temem não somente por sua saúde física, mas também por sua instabilidade financeira.

Os jornais mostram que economicamente o mundo está em retração. A OIT (Organização Internacional do Trabalho) aponta que 2,7 bilhões de trabalhadores já foram afetados financeiramente, reforçado pela Fundação Getúlio Vargas com o IIE-BR (Índice de Incerteza Brasileiro) batendo número recorde, o que mostra que o bolso do brasileiro também foi afetado.

As empresas estão empenhadas em acolher os funcionários, dar direcionamento e criar um ambiente flexível para trabalhar, revendo metas, atendendo expectativas de segurança, procurando gerenciar o bem-estar e o moral dos funcionários, revendo políticas internas, salários e benefícios.

Mas, perceba. As finanças pessoais dos funcionários merecem uma atenção especial dos profissionais de RH:

  • Segundo pesquisa realizada pela consultoria PwC, 78% dos profissionais preferem trabalhar em empresas que se preocupam com as finanças pessoais dos empregados, demostrando mais empatia e acolhimento por parte das companhias no momento.

  • O endividamento dos colaboradores aumentou durante a pandemia. Segundo aponta a FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos), houve um crescimento de 20% de empréstimos consignados no primeiro trimestre deste ano, (3.332.479 novos contratos).

  • O empréstimo consignado é uma modalidade de crédito em que o desconto da prestação é feito diretamente na folha de pagamento do contratante. Bancos e financeiras têm estado presentes no suporte ao RH das empresas visando ofertar linhas de crédito como “benefício” aos trabalhadores, que podem ter até 30% do salário comprometido.

  • O empréstimo consignado como oferta de crédito mais barato está longe de ser uma solução definitiva para o problema, mas pode ajudar parte do quadro de funcionários desequilibrados financeiramente com a pandemia, se tiverem orientação financeira antes de tomar o empréstimo.

A pergunta é: Quem faz a orientação financeira dos funcionários antes deles contratarem um empréstimo consignado? Os bancos? As financeiras? O RH?

Se as empresas fossem representadas como fazendas de ovelhas, estaríamos vendo ovelhas rodeadas de lobos, e sem pastor para administrar a relação e os conflitos.


Não pense que o RH é o pastor de ovelhas. O RH é o administrador da fazenda. Cabe a ele designar um pastor “isento” no processo, que oriente para a tomada de decisão consciente e mantenha um equilíbrio financeiro com tranquilidade e segurança para voltar a sonhar.

Ou você deixaria um rebanho de ovelhas aos cuidados do lobo?



por José Roberto Falcone

239 visualizações

© 2019 SD Group

Powered by Adaptma